quinta-feira, 8 de maio de 2014

O que são Mantras?

Ao "pé da letra", mantra significa instrumento do pensamento. Os sons mântricos são o melhor instrumento para limpar a mente e desintegrar os condicionamentos. Mas a repetição de um som não é um fim em si mesmo. Ela se faz em função dos resultados: estabilidade do pensamento e expansão da consciência. 
Enquanto os sons comuns são manifestações da Shakti, o poder da natureza, os mantras são expressões concentradas desse mesmo poder, forças criativas que agem diretamente sobre a consciência. 
Se você se observar no dia a dia, irá reparar que em muitos momentos fica sob tensão, com a consciência atenta apenas ao exterior e um diálogo interior, um ruído constante na mente, como um rádio que não desliga. 
Esse ruído de fundo forma a paisagem interior, o substrato das experiências mentais. Não é possível mudar essa paisagem apenas querendo calar a mente. Precisamos usar a ferramenta adequada. 
Os mantras nos ensinam a separar-nos das experiências e influências externas, nos levam para o silêncio e nos abrem o espaço interior. Eles reestruturam os conteúdos subconscientes, predispõem a mente para meditar e nos conectam com o oceano da consciência-energia. 
Um mantra é um corpo sonoro que desencadeia vibrações sutis e poderosas no organismo. O Yoga utiliza diferentes fórmulas sonoras para levar o praticante a estados modificados de consciência. Esses estados de expansão não se atingem unicamente usando os sons. É preciso igualmente prestar atenção ao significado desses sons. 
Esses significados variam, mas todos aludem ao mesmo princípio. Cada mantra simboliza um dos aspectos do Universo. 
Diz o estudioso Mircéa Éliade: “Um mantra é um ‘símbolo’, no sentido arcaico do termo: é ao mesmo tempo a ‘realidade’ simbolizada e o ‘signo’ que simboliza. Existe uma correspondência oculta entre, por uma parte, as letras e as sílabas (…) e os órgãos sutis do corpo humano, e, por outra, entre esses órgãos e as forças latentes ou manifestas no cosmos.” 
O poder do mantra está em que ele pode transformar-se, por meio da repetição correta, no objeto que representa. A cada estado de realização corresponde um som determinado, que é a sua semente: por exemplo, o mantra Om induz à identificação com o Purusha, o Si Mesmo, a Alma do Universo. O mantra Om namah Shivaya, à aproximação com o arquétipo de Shiva, etc. Dessa forma, através das diversas vibrações sonoras do universo, assimilam-se diretamente conhecimentos e experiências essenciais para atingir os estados supraconscientes. 

Texto extraído das páginas 250 a 252 do livro Yoga Prático, de Pedro Kupfer. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário